MP pede reprovação das contas de Guilherminho por irregularidades em 2019

O Ministério Público de Contas do Estado da Paraíba (MPC-PB) elaborou um relatório contrário a prestação de contas do ex-prefeito de Cuitegi, Guilherme Madruga. O órgão também citou sete [07] alertas contra o ex-gestor, a exemplo do “não recolhimento de contribuição previdenciária do empregador a instituição previdenciária”. O documento foi divulgado nesta terça-feira (26).

O relatório do MPC-PB aponta possíveis irregularidades em licitações e contratos realizados pela Prefeitura Municipal, durante o período de Guilherme Madruga. Segundo o documento, a falha foi detectada na locação de veículos, compras de combustíveis, lubrificantes e outros derivados utilizados pela frota de automóveis do município.

Para o órgão, Guilherme Madruga deixou de atender as determinações existentes na Lei de Licitações. “Trata-se de uma falha grave e que demanda providências para sua imediata correção”, diz trecho do documento. Em resposta ao Ministério Público de Contas, o ex-prefeito reconheceu seu erro e revelou que tudo isso foi apenas um “pequeno lapso do sistema contábil”.

A procuradora Elvira Samara emitiu um parecer com 12 páginas. O documento relata outros erros administrativo de Guilherme Madruga à frente da Prefeitura Municipal de Cuitegi. No relatório, Elvira se posicionou contrária a prestação de contas, exercício de 2019.

De acordo com o relatório, Guilherme Madruga deixou de aplicar o percentual mínimo de receitas de impostos e transferência em ações e serviços públicos de saúde. A procuradora recomendou a aplicação de uma multa, destacou a irregularidade da administração de Guilherme Madruga e pediu a reprovação de suas contas.

Clique aqui e leia o relatório do Ministério Público de Contas do Estado da Paraíba.


Jean Ganso com Blog do Galdino 

Compartilhar no Google Plus

Rota de Noticia

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário