Camila recebe adesão de primeira vereadora surda da Paraíba: “abraço essa causa e vou criar proposituras de inclusão na Assembleia”

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) recebeu mais uma adesão ao seu projeto político de reeleição na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). A primeira vereadora surda da Paraíba, da cidade de Araçagi, Ana Kelly, anunciou apoio à parlamentar. A deputada destacou o papel histórico da vereadora e abraçou a causa se comprometendo com ações para a comunidade surda.

Ana Kelly é a primeira vereadora surda da história da Paraíba, ela foi eleita no município de Araçagi com 421 votos em 2020. Com 2
4 anos, ela tem feito história na cidade, mas destaca que os desafios para executar o mandato são grandes. “Existem vários desafios, as pessoas ainda não estão preparadas para conviver com uma pessoa surda. Encontro a ausência de profissionais que poderiam me auxiliar no mandato e o preconceito ainda resistente na sociedade”, disse.

Dados do IBGE indicam que existem mais de 102 mil pessoas com alguma deficiência na Paraíba, sendo que 36,051 pessoas têm deficiente auditiva ou deficiência auditiva aguda. Em Araçagi, município de origem de Ana Kelly, 560 pessoas têm algum tipo de deficiência.

A deputada Camila Toscano comemorou a adesão da vereadora e revelou que abraçou a causa. “Conhecer a história de Ana Kelly e tudo o que ela representa me emocionou muito, ela tem um papel importantíssimo na Paraíba e já vem protagonizando muita mudança em Araçagi. Fico honrada por receber essa adesão e juntas vamos trazer mais avanços para a comunidade surda do nosso Estado”, revelou a parlamentar.

Apesar do grande avanço que é ter uma cadeira na Câmara Municipal da cidade, a vereadora destaca que a Paraíba ainda não está preparada para receber parlamentares surdos. “Infelizmente a Paraíba não está preparada, encontro diariamente limitações para exercer o mandato, mas isso me dá ainda mais força para ir à luta, somos iguais e capazes de conseguir tudo”, comentou.

Para ela, entre as dificuldades, a principal é encarar o preconceito. “Encontramos muitos que ainda pensam que uma pessoa surda não é capaz, mas sim uma pessoa surda tem pensamento, opinião e direito de expressar igual a todos. A única diferença é que nossa voz é com as mãos, através da linguagem de libras”, ressaltou.

Mesmo com as limitações, Ana Kelly encontra forças na família, sobretudo no pai, Naldo, que já foi vereador da cidade e a incentiva. Além disso, ele entende a importância da luta pela causa, pois sabe da responsabilidade e poder que têm no seu mandato. “É uma responsabilidade muito grande, vejo em mim a oportunidade de poder ajudar não só a minha classe, mas a todos que precisam desse olhar diferenciado”, concluiu a vereadora.



Jean Ganso com Blog do Chico Soares

Compartilhar no Google Plus

Rota de Noticia

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário