Suspeita de matar companheira com 95 facadas fica em silêncio durante depoimento, na PB


Marilene da Silva Ramos, a mulher suspeita de matar a companheira com 95 facadas, permaneceu em silêncio ao longo de seu interrogatório na Polícia Civil de Campina Grande, realizado na tarde desta segunda-feira (22). Marilene foi presa na cidade no turno da manhã e, segundo a delegada Suelane Guimarães, que efetuou a prisão, ela tinha confessado o crime no momento que foi detida, alegando que a relação era "tumultuada".

O crime aconteceu no sábado (20), no bairro de Gramame, em João Pessoa. Marilene, que morava há aproximadamente cinco anos com Gillimara Santos da Costa, de 35 anos, teria matado a companheira usando uma faca do tipo peixeira, mirando principalmente o coração da vítima.

Já a prisão aconteceu no bairro Vila Cabral de Santa Terezinha, em Campina Grande, e é por isso que o depoimento aconteceu na Delegacia de Homicídios da cidade. A delegada Emília Ferraz, que estava com o caso, informou que vai pedir à justiça a prisão preventiva da suspeita.

Ela vai responder por feminicídio e por tentativa de homicídio contra a mãe e o sobrinho de Gillimara, sob a acusação de ter envenenado ambos.

A delegada informou também que contra Marilene da Silva Ramos há um mandado de prisão por homicídio no Rio Grande do Norte. Caberá a justiça, portanto, a decisão sobre onde ela permanecerá presa.

Com Marilene, foi encontrado vários documentos e cartões de banco da vítima, no que para a polícia é um forte indício de que a acusada praticava violência patrimonial.


Jean Ganso

Compartilhar no Google Plus

Rota de Noticia

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário