http://www.betsporting.com.br/

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Zé Ismai e prefeito Zenóbio Toscano
Na sessão desta terça-feira (21), o barulhento vereador oposicionista Zé Ismai (PHS), que lidera a bancada paulista na Câmara fez questão de dizer da tribuna que não paga e não pagará o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) durante os mandatos do prefeito Zenóbio Toscano (PSDB).
Zé sustenta o discurso de inadimplente confesso e convicto alegando que aprendeu com o prefeito Zenóbio. O atual prefeito deixou de pagar IPTU durante as gestões da então prefeita Fátima Paulino e disse que não pagava por não concordar com a administração.
“O prefeito de Guarabira não pagou IPTU na gestão da ex-prefeita Fátima porque não concordava com a gestão e eu não concordo com a gestão e por isso também não pago. Aprendi com o prefeito”, vociferou o parlamentar.
Em causa própria
E por falar em Zé Ismai, o legislador emendou uma lei ainda da época da gestão de Léa Toscano, e estendeu para todos os devedores de IPTU desconto de 40%. Segundo o vereador, o texto deixava brechas para desconto “por cara” ao flexionar que poderia ser desconto de até 40% e agora ficou “de 40%”.
Mesmo sendo um benefício coletivo, Zé, que não é besta nem nada, sabedor de débito seu de cinco anos, já tratou de emendar a lei e acabou legislando em causa própria. Zenóbio até vetou, mas foi derrotado e teve o veto derrubado pelos opositores.
Rolo compressor
Numa entrevista que concedeu à Rádio Guarabira FM, nesta terça (21), Zenóbio assegurou que não precisa de autorização da Câmara para sujar o nome do contribuinte devedor. Mesmo tendo retirado o polêmico projeto que tratava do assunto, num recuo claro, ZT disse que vai negativar, sim, os maus pagadores.
Arauto na Câmara
Depois que a presidente da Câmara, Neide Teotônio, mandou tirar a barreira de vidro que separava os legisladores da plateia, os vereadores convivem com um incômodo barulho vindo das galerias da Casa Osório de Aquino. Expectadores assíduos mais afoitos chegam a interferir nos discursos e Neide muitas vezes pede, educadamente, para que respeitem.
Semana passada, o empresário Anselmo do Bolo, que vai a praticamente todas as sessões, interrompeu a fala de Tiago Tributino do Mutirão e o parlamentar não gostou. Ele chamou a atenção do empresário e pediu respeito ao parlamento, justificando que Anselmo estava querendo legislar sem ter mandato.
3
0 Comentários

Postar um comentário