http://www.betsporting.com.br/


ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

IMG_20151124_143016559
Perto de fazer um ano que o matadouro público da cidade de Guarabira encontra-se interditado por falta de condições de funcionamento, a situação sanitária da carne consumida pelas pessoas a cada piora. Sem nenhuma certificação da vigilância sanitária, os animais são e tratados sem nenhum critério de higiene.

Nesta terça-feira (24), a reportagem do Portal25horas flagrou o momento em que um animal bovino estava sendo arrastado pelo chão, depois de morto. Amarrado por uma corda, homens se esforçam para deslocar o boi por cerca de 15 metros até o local onde será tratado.

O flagrante foi numa localidade rural da cidade de Cuitegi, conhecida como Chã do Bodeiro. Os bois pertencem a marchantes de Guarabira, que não tem mais onde abater os animais e ficam perambulando em busca de algum lugar para o abate e depois a comercialização da carne no mercado público.

No mesmo ambiente, os urubus fazem a festa com os restos dos animais. Cabeças de boi são o prato ideal para as aves que se amontoam e brigam por espaço. Bem perto dali, há cerca de 50 metros, existe um cemitério de cabeças de boi. São milhares delas jogadas a céu aberto.

Os marchantes não quiseram conceder entrevista, mas disseram que não suportam mais o sofrimento. Eles apelam que a Prefeitura de Guarabira adote as providências para fazer com que os fiscais do Ministério da Agricultura liberem o funcionamento do matadouro.



3
0 Comentários