Epidemia de dengue no país atinge nove estados, MS está entre eles

Dengue aumentou 240% no primeiro trimestre de 2015
“O brasil enfrenta uma epidemia de dengue”, essas foram as palavras do ministro da Saúde Arthur Chioro nesta segunda-feira (4), durante um encontro na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), na capital paulista. Desde o início do ano até o dia 18 de abril, o País já registrou 745,9 mil casos de dengue — um aumento de 234,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 223,2 mil casos da doença -  concentrados em nove estados, os que possuem mais de 300 casos por 100 habitantes, e Mato Grosso do Sul é um deles.

O balanço geral foi divulgado hoje (4) pelo Ministério da Saúde, e aponta que a região Sudeste apresenta a maior incidência de dengue, com 575,3 casos para cada 100 mil habitantes (489.636 casos no total), seguida pelas regiões Centro-Oeste, com 560,7 para cada 100 mil habitantes (85.340 casos no total), Nordeste, com 173,7 para cada 100 mil habitantes (97.591 casos no total); Sul, com 159,8 para cada 100 mil habitantes (46.360 casos no total) e Norte, com 156,6 para cada 100 mil habitantes (27.030 casos no total).

Ainda segundo este levantamento, foram confirmados 229 óbitos causados pela doença nas 15 primeiras semanas do ano — um aumento de 44,9% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram registradas 158 mortes.

NÚMEROS EM MATO GROSSO DO SUL
Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de MS, do início do ano até o dia 25 de abril, foram registrados 17.467 casos suspeitos. Dos 79 municípios sul-mato-grossenses, 38 têm alta incidência da dengue. Em Campo Grande foram notificados 3.524 casos, seguido por Iguatemi com 1.269 casos e de Três Lagoas com 1.018. 

O ministro disse que pediu prioridade à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em relação à vacina contra a dengue. “Seria grande ganho para o Brasil e para mundo se chegássemos a uma vacina eficaz e segura. É a intenção do ministério, tanto que temos investimentos no Instituto Butantan, na Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz], no sentido de estabelecer parcerias para produção dessa vacina, mas não podemos queimar etapas”, ponderou. Apesar de apostar na vacina como medida de prevenção, ele disse que não há previsão que as doses estarão disponíveis já nos próximos meses. *Com informações da Agência Brasil.

SINTOMAS
A recomendação do Ministério da Saúde é que a pessoa procure o serviço de saúde mais próximo já nos primeiros sintomas da dengue, e que a pessoa não tome medicamentos por conta própria, isso pode mascarar os sintomas e dificultar o diagnóstico.

Os sintomas da dengue são febre alta com início súbito, forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do paladar e apetite, manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores náuseas e vômitos, extremo cansaço, moleza e dor no corpo.
Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta: vômitos persistentes, pele pálida, fria e úmida, sangramento pelo nariz, boca e gengivas. 

Compartilhar no Google Plus

Unknown

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário